A história dos transportes no Campo Grande – Parte XIV (Final) – Viação Morumbi vira Itajaí Transportes e muda panorama da região

0
3

A operação da Viação Morumbi foi precária no começo mas depois melhorou aos poucos. Com a compra de alguns ônibus articulados usados da antiga URCA e a reativação de parte da frota antiga, a circulação voltou a melhorar. Por alguns dias a empresa operou as linhas que estavam a cargo da VBTU na região do Cidade Satélite Íris, pois a empresa titular não tinha veículos suficientes para assumir toda a operação de imediato, como determinado pela prefeitura na época.

Após essa fase de transição, a Morumbi trouxe outros 12 veículos convencionais usados, comprados da Viação Marazul da Baixada Santista. O lote inteiro era de 32 ônibus, mas 20 deles ficaram com a VBTU também para reforço de frota. Eram veículos de grande capacidade que ajudaram muito a operação inicial. Em 2004 a empresa mudou de administração e passou para as mão dos atuais donos da Itajaí Transportes. De imediato foram comprados 11 veículos convencionais zero quilômetro para substituir alguns antigos que não tinham mais condições de operar. A alegação do repasse da empresa para a nova administração é que a antiga não estava mais dando conta da operação.

Em 2005 aconteceu a atual licitação do transporte urbano campineiro e a Viação Morumbi entrou com o nome de Itajaí Transportes Coletivos. De imediato foram comprados 9 ônibus convencionais de alta capacidade e mais 6 articulados. Meses depois chegaram mais 5 convencionais também de alta capacidade. A empresa começou a reorganizar as linhas da região e a operação foi imediatamente otimizada. A população, do dia para a noite, passou a andar na frota mais nova da cidade e com circulação mais regular. Com o passar do tempo a Itajaí foi ampliando gradativamente a sua frota de ônibus articulados, com o objetivo de aumentar a capacidade de transporte adaptando a oferta à demanda. No final da década passada a Itajaí inovou e trouxe para Campinas quatro ônibus biarticulados, aumentando de forma exponencial a capacidade de transporte nas linhas mais movimentadas.

Em 2012 foram compradas 14 unidades de ônibus articulados no padrão BRT, com rádio, televisão e outros equipamentos até então inéditos no transporte campineiro. Logo na sequência, chegaram mais sete. Atualmente são 20 veículos nessa configuração em operação pois um deles foi queimado durante protesto no Terminal Itajai. Hoje, a Itajaí Transportes tem mais de metade da sua frota composta por veículos articulados e biarticulados. E apesar da queda na qualidade geral do transporte coletivo de Campinas, a Itajaí é escolhida a melhor empresa de ônibus urbano da cidade há vários anos na pesquisa da Revista InterBuss. Para o futuro, estão previstos alguns investimentos, inclusive na renovação de frota, mas ainda sem prazo para implantação.