A prefeitura e a EMDEC estão mentindo para você ao justificar uma tarifa de R$ 4,70. Vejam o porque

0
17

O transporte público de Campinas vai de mal a pior. Com um péssimo comando do secretário-poste de transportes, o engenheiro elétrico Carlos José Barreiro chegou a ter a capacidade absurda de dizer que o sistema de Campinas é “excepcional”.

Essa mentira descabida foi dita durante uma entrevista à TV Bandeirantes.

Como pode ser excepcional um sistema de transporte onde os ônibus são velhos, caem aos pedaços pelas ruas, vivem quebrados, atrasam, cortam itinerários e ainda “queimam” viagens simplesmente por não ter veículo para colocar no lugar de um que quebrou.








Hoje, as empresas simplesmente fazem o que quer. A EMDEC, gerenciadora do sistema e presidida por Barreiro, simplesmente abriu as pernas e faz vistas grossas à todas as irregularidades que as empresas cometem todos os dias. E tudo isso diante da tarifa de ônibus mais cara do país. A rede VTV, afiliada do SBT em Campinas, fez recentemente uma longa matéria sobre todos os problemas dos ônibus de Campinas e recebeu uma resposta, no mínimo sem pé e nem cabeça. Vamos responder cada um dos tópicos que a EMDEC comentou à emissora, e vamos falar se é verdade ou mentira.

LICITAÇÃO DO TRANSPORTE – NÃO FOI RESPONDIDO
A prefeitura está enrolando. Sim, ENROLANDO com a licitação do transporte coletivo, algo determinado pela Justiça pois a de 2005 foi considerada irregular. Há pelo menos dois anos a prefeitura enrola e diz que está preparando, que está fazendo e que vai lançar em breve. Mentira. A prefeitura está enrolando pois sabe que as empresas que interessam à ela não têm condição nenhuma de participar de um certame. Ela está esperando as empresas do interesse dela se regularizarem para ela poder publicar o edital. Enquanto isso, as atuais empresas ficam aí, operando de qualquer jeito.

TARIFA NO BILHETE ÚNICO É MENOR – PARCIALMENTE MENTIRA
A prefeitura alegou que 90% dos usuários já usam o bilhete único, cuja tarifa é de R$ 4,30. Na verdade não é bem isso pois a maioria desses 90% é composta por Vale-Transporte, cuja tarifa é de R$ 4,70, o que onera ainda mais o empregador.

SUBSÍDIO MANTÉM TARIFA MAIS BAIXA – MENTIRA
O subsídio é um instrumento que foi criado na licitação de 2005 e não necessariamente mantém a tarifa mais baixa. Até porque não faz o menor sentido ter uma tarifa mais alta do que já é, com ou sem subsídio. O subsídio é um complemento para as empresas pagarem suas contas e não para melhorar o serviço, além de ser o pagamento das gratuidades, algo que a prefeitura se nega a fazer e joga para os demais usuários pagarem. Isso é lei. Gratuidades devem ser pagas pela prefeitura. Oficialmente, prefeitura e empresas negam isso, obviamente.




ITINERÁRIOS LONGOS FAZEM TARIFA SER ALTA – MENTIRA
A prefeitura alegou que Campinas tem muitas linhas longas que carregam poucos passageiros, o que justifica uma tarifa alta. Mentira. A cidade tem uma câmara de compensação tarifária exatamente para isso: as linhas que dão mais lucro bancam as linhas que dão prejuízo. Essa câmara existe desde 1988, por sinal desde quando a maioria das linhas que operam hoje já existiam e essa desculpa estapafúrdia não existia. E se existem itinerários ineficientes, cabe à EMDEC rever isso, algo que já foi proposto pelas próprias empresas há um tempo e posteriormente negado pela prefeitura. Se o sistema dá prejuízo como a EMDEC alega, a culpa é dela mesmo.

INTEGRAÇÕES E GRATUIDADES ELEVAM TARIFA – MENTIRA
As gratuidades para idoso, tarifa mais baixa para estudantes e as integrações seriam motivos para a tarifa ser absurdamente alta. Mentira, pois o subsídio é justamente para pagar essas tarifas. Por lei, as gratuidades devem ser pagas pela prefeitura, que em Campinas se nega a pagar e dilui na tarifa para as outras pessoas pagarem. Ou seja, se todos pagam é culpa da prefeitura que não faz a sua parte, e não culpa do povo ou das empresas.

TARIFA VISA MANTER EQUILÍBRIO DO SISTEMA – MENTIRA
A prefeitura disse que várias variantes são levadas em consideração, como óleo diesel, manutenção de veículos, itinerários longos, etc. Isso não tem o menor cabimento até porque nos últimos anos acabaram com os cobradores, reduziram o número de ônibus nas ruas, fazem horários de férias com frota ainda menor nos períodos de recesso escolar e ainda reclamam que o valor é insuficiente. Se houve alta de valores de um lado, pelo outro houve grande queda, mas isso não é levado em consideração.

Vejam como a prefeitura e a EMDEC, através do seu secretário-poste Barreiro assinam o atestado de incompetência ao mentir absurdamente para a população, tudo para manter toda a farsa em torno da tarifa de ônibus mais cara do Brasil. Tudo isso sem a menor melhoria pois a frota continua velha, prejudicando todos os usuários.