Cirurgia robótica já pode ser usada no tratamento do câncer de próstata

0
20

O câncer de próstata (CaP) é a segunda neoplasia mais diagnosticada – com exceção do câncer de pele não melanoma. Em 2018, foram estimados 1,3 milhões de novos casos, o que corresponde a 13,5% de todos os tumores entre os homens e 359 mil mortes. É um tumor maligno que origina-se na próstata e é a segunda causa de mortes em homens no País, seguido do câncer de pulmão. As chances de cura são de 90%, desde que o diagnóstico seja feito precocemente. Por isso, é importante que pessoas do sexo masculino – com mais de 40 anos – façam exames periodicamente e conforme a orientação do urologista.

A doença acomete homens, principalmente após os 50 anos de idade – embora possa atingir também pessoas mais jovens. Em sua fase inicial, o câncer de próstata tem evolução silenciosa. A maioria dos pacientes não apresentam nenhum sintoma e, quando isso acontece, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata: dificuldade de urinar e necessidade de urinar mais vezes durante o dia e/ou à noite. Quando em fase avançada, pode provocar dor óssea, perda de peso e alteração da micção. Em situação mais grave, pode ocasionar infecção generalizada ou insuficiência renal.

Os principais fatores de risco para o câncer de próstata são: idade, etnia e histórico familiar – sendo que 25% dos casos diagnosticados apresentam casos na família. A incidência da patologia em homens negros é de cerca 60% maior do que em homens brancos em todo o mundo. Além disso, a mortalidade é de 2,4 vezes nos negros. A doença pode ser identificada com a combinação de dois exames:

→ Dosagem de PSA: exame de sangue que analisa a quantidade do antígeno prostático específico;→ Toque retal: como a glândula fica em frente ao reto, o exame permite ao médico palpar a próstata e analisar se há nódulos ou tecidos endurecidos. O toque é rápido e totalmente indolor.

A confirmação do câncer de próstata é feita através da biópsia prostática. A retirada de amostras de tecido da glândula para análise é feita com auxílio da ultrassonografia. Além disso, outros exames de imagem também pode ser solicitados, como tomografia computadorizada, ressonância magnética e cintilografia óssea (verificar se os ossos foram atingidos).

Não existe nenhuma medida preventiva para combater a doença. Porém, acredita-se que uma alimentação saudável, a prática constante de exercícios físicos e a manutenção do peso corporal podem diminuir as chances de aparecimento da patologia.

O que é a cirurgia robótica para o tratamento de câncer de próstata?

A cirurgia robótica é um procedimento cirúrgico realizado com o auxílio de um robô. Este processo é uma evolução da cirurgia tradicional. É minimamente invasiva – como a laparoscopia – e é realizada com pequenas incisões na cavidade abdominal (cerca de 8mm). O médico realiza a cirurgia a partir de uma mesa de controle computadorizada e controla os movimentos dos delicados instrumentos, que movem-se de acordo com o seu comando a distância.

O robô garante uma visão ampliada das imagens – que resulta em nitidez e percepção de profundidade – é em 3D, tem movimentos mais assertivos e intuitivos, que imita a mão do cirurgião – de forma delicada – e sem tremores, proporcionando, assim, uma melhor ergonomia para o médico. As principais vantagens da cirurgia robótica são:

→ Menor tempo anestésico/cirúrgico;→ Resultados mais eficientes;→ Minimiza o trauma cirúrgico;→ Menos dor e uso de analgésicos no pós-operatório;→ Menor quantidade de sangramento na cirurgia;→ Menor tempo de internação;→ Recuperação mais rápida, o que permite retorno mais precoce às atividades do dia a dia;→ Método altamente tecnológico.

A cirurgia de câncer de próstata é o procedimento mais realizado com a robótica. O método traz mais agilidade, rapidez e eficiência na execução da prostatectomia radical, apresentando, assim, resultados significativos na preservação da continência urinária e função sexual.

Sobre o Centro Urológico de Brasília – há 30 anos presta serviço de excelência na área de urologia

Fundado em 1986, UROCENTRO – Centro Urológico de Brasília, com sede no Hospital Santa Lucia e Centro médico Advance, Brasília-DF, é referência em tratamentos urológicos na capital federal. Sempre visando o avanço nos tratamentos, o UROCENTRO passa a oferecer o diferencial da cirurgia robótica, método altamente tecnológico que possibilita aos médicos mais liberdade para a realização de movimentos durante a cirurgia.

Website: http://www.urocentrobrasilia.com.br

As informações são de responsabilidade da Dino.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Por favor, digite seu nome