Criança morre por H1N1 e Sumaré decide vacinar nas escolas

0
77

A Vigilância Epidemiológica de Sumaré confirmou nesta segunda-feira, dia 21, o óbito de uma criança de 4 anos por gripe H1N1.

O menino era morador da região de Nova Veneza e faleceu em 27 de abril, devido a complicações respiratórias.

A Vigilância Epidemiológica ressalta que não há motivos para pânico na população, uma vez que os familiares e pessoas próximas à criança não tiveram qualquer sintoma e o município também não tem nenhum outro caso confirmado da doença.

A Campanha de Vacinação continua para os grupos prioritários estabelecidos pelo Ministério da Saúde e a Vigilância também deu início hoje à imunização de alunos e professores, comparecendo às escolas municipais.








Estão recebendo a dose crianças de seis meses a menores de 5 anos, que integram os grupos de maior vulnerabilidade.

Os trabalhos começaram pelas escolas Alfredo Castro Donaire, Profª Eliana Minchin Vaughan, Parque Residencial Regina e Profª Nilza Thomazini e seguem diariamente nas demais unidades.

Depois de percorrer as escolas municipais, a Vigilância Epidemiológica estará também nas creches conveniadas ao PROEB (Programa de Educação Básica).

A vacina protege contra os três subtipos do vírus com maior incidência: H1N1, H3N2 e Influenza B.

“Reforçamos que não há motivos para pânico, mas também é importante que as pessoas que integram os grupos de risco procurem uma unidade de saúde para receber a vacina, que é uma das formas de prevenção mais eficientes. Também orientamos a todos os moradores que estejam atentos a cuidados simples no dia a dia que podem evitar o contágio e transmissão da gripe, como lavar as mãos frequentemente; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto; evitar ambientes fechados e com aglomeração de pessoas; não compartilhar objetos de uso pessoal, entre outros”, disse o secretário municipal de Saúde, Rubens Gatti.

Para receber a dose, basta comparecer a um dos postos de saúde e apresentar a Carteira de Vacinação ou documento de identificação. A vacina é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para pessoas que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados.