Empresário organiza “rodízio de mulheres” em casa de prostituição e é preso em GO

0
1265

Um empresário da cidade de Águas Lindas de Goiás (GO) foi preso na quarta-feira (6) por organizar uma festa, em uma casa de prostituição, que oferecia rodízio “open xeca” e tinha entrada a R$ 300. A proposta era de que homens pudessem fazer sexo livremente com garotas de programa contratadas mediante pagamento de cachê pelos organizadores. O “evento” era divulgado por meio das redes sociais e de aplicativos como o WhatsApp.

O panfleto com as informações da festa viralizou e chegou ao conhecimento de integrantes da Polícia Militar de Águas Lindas, que decidiu verificar a situação. “Uma noite inesquecível pra você se deliciar o quanto conseguir”, diz o anúncio. Militares foram até o Rancho do Patrão, onde a festa ocorria, e revistaram os participantes. O empresário, apontado como responsável pelo local e pelo evento, foi detido por posse de maconha.

Na delegacia, o homem – que não teve o nome divulgado -, confirmou que contratou as garotas de programa e acabou autuado por explorar as mulheres sexualmente, crime conhecido como rufianismo. Duas das “contratadas” para o evento também foram à delegacia prestar depoimento. Elas contaram que receberiam R$ 400 para fazer parte de um grupo que faria sexo com os convidados da festa. A dupla foi liberada na sequência.

O empresário, por sua vez, vai responder em liberdade pelo crime previsto no artigo 230. A pena varia de um a quatro anos de reclusão, além do pagamento de multa.

As informações são do BHAZ.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Por favor, digite seu nome