Família de pichador da Unicamp diz que ele abandonou tratamento de esquizofrenia

0
115

Com informações da CBN Campinas
A Polícia Civil de Campinas identificou e já ouviu o suspeito de ter feito pichações racistas, além de ameaças de morte em quatro departamentos da Unicamp. O homem tem 29 anos e é ex-aluno da universidade.

Segundo a declaração de familiares, ele sofreria de esquizofrenia, mas teria abandonado o tratamento há alguns anos.

Um dos alvos do suspeito foi a Biblioteca Antonio Candido, onde pichou mesas e telas de computador com suásticas, slogans racistas, além de relembrar o massacre de Columbine, ocorrido em uma escola dos Estados Unidos e que terminou com 15 mortos.

A polícia chegou até o homem depois que a universidade divulgou a imagem captada pelas câmeras de monitoramento da biblioteca.

Durante o depoimento, ele permaneceu em silêncio.

Familiares do suspeito disseram que ele foi diagnosticado com esquizofrenia e o delegado responsável pelo caso fez um pedido de verificação da insanidade mental do acusado.

Se ele for considerado capaz, deverá responder por dano qualificado de patrimônio público, que poderá render até três anos de prisão.

A polícia informou ainda que o suspeito não tem histórico de violência.

Ex-aluno jubilado

O suspeito ingressou em três cursos da Unicamp: em estatística, em 2008, matemática computacional, em 2009 e engenharia da computação, em 2011.

Ele não concluiu nenhuma das faculdades e foi jubilado da universidade no ano passado.

O reitor da Unicamp, Marcelo Knobel, garantiu que depois deste episódio houve um reforço na segurança patrimonial da universidade.

O que é a esquizofrenia?

(Com informações do site do Dr. Drauzio Varella)
A esquizofrenia é uma doença psiquiátrica endógena, que se caracteriza pela perda do contato com a realidade.

A pessoa pode ficar fechada em si mesma, com o olhar perdido, indiferente a tudo o que se passa ao redor ou, os exemplos mais clássicos, ter alucinações e delírios.

Ela ouve vozes que ninguém mais escuta e imagina estar sendo vítima de um complô diabólico tramado com o firme propósito de destruí-la.

Não há argumento nem bom senso que a convença do contrário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Por favor, digite seu nome