Governo Federal quer criar alojamento temporário para imigrantes venezuelanos em Campinas

Um alojamento para receber imigrantes venezuelanos que chegam a Roraima poderá ser criado em Campinas pelo Governo Federal.

A medida faz parte da Operação Acolhida, que inclui Campinas no projeto de instalações de casas de passagem. A intenção não é que os venezuelanos fiquem em Campinas, mas que a cidade seja sede de um dos abrigos criados pela Operação, visando agilizar o transporte dos imigrantes para outras cidades.

O Major Eduardo Milanez, porta-voz da operação, explica que atualmente a interiorização dos imigrantes de Roraima para outros destinos é feita a partir do alojamento de passagem Rondon 2, em Boa Vista, que é a principal porta de entrada dos que estão fugindo da escassez de alimentos e remédios, da hiperinflação e da violência na Venezuela.

A Prefeitura de Campinas informou que não recebeu nenhum pedido oficial sobre o assunto, mas segundo o Major Eduardo Milanez, porta-voz da operação, a comunicação será feita por representantes do Governo Federal.O Major Milanez explica que a cidade de Campinas tem o perfil idealizado pela Operação, por possuir infraestrutura para acomodação e modal de transporte de boa qualidade.

Dados da Operação Acolhida, apontam que cerca de mil venezuelanos dormem nas ruas de Boa Vista. Desde 4 de abril, 4.202 foram interiorizados. Os principais destinos são Manaus, Esteio (no RS), Rio de Janeiro e São Paulo.

As informações são da Rádio CBN Campinas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Por favor, digite seu nome