Greve dos caminhoneiros: ônibus podem parar sem combustível

0
6

A greve dos caminheiros vai entrar nesta quinta-feira no 4º dia, e a situação do desabastecimento em todo o país é uma realidade.

Em Campinas, a frota de ônibus foi reduzida na quarta-feira em 40% no horário de pico da tarde.

Os pontos ficaram lotados e muita gente teve dificuldade para voltar pra casa.








O ODC apurou que a decisão de reduzir a quantidade de ônibus nas ruas foi tomada ao meio dia, quando a situação da greve já parecia não caminhar para uma solução.

Emdec, Transurc e SetCamp afirmam que essa é a melhor solução até o momento.

Se a greve não for encerrada, os ônibus podem parar de circular no período da tarde desta quinta-feira.

“Estamos adotando atitudes preventivas, que causam menor impacto a nossa população. Vamos continuar avaliando a situação, para ver a necessidade de medidas restritivas adicionais”, afirma o secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado de São Paulo enviou oficios para a ARTESP e EMTU informando que a situação também pode beirar o colapso.

As principais reivindicações dos caminhoneiros são a redução de impostos sobre o preço do óleo diesel, como PIS/Cofins e ICMS e o fim da cobrança de pedágios dos caminhões que trafegam vazios nas rodovias federais que estão concedidas à iniciativa privada.