O governo do Estado quer PPP com Banco Mundial para o trem regional

0
152

Com informações de ACidade ON Campinas
O projeto do trem regional de passageiros que vai ligar São Paulo a Campinas e Americana deve ser avaliado nesta semana pelo Banco Mundial a pedido do governo estadual, que quer viabilizar o trem com uma Parceria Público-Privada.

A proposta do trem intercidades existe desde 2013 e estava suspensa devido à crise política e econômica.

O projeto voltou à pauta do governo federal e estadual neste ano.

O trem deve transportar 60 mil passageiros por dia.

A primeira fase do Trem Intercidades deverá ligar as cidades de São Paulo, Jundiaí, Campinas e Americana por um percurso de 135 quilômetros em trilhos, com nove estações, e investimento para implantação estimado em R$ 5 bilhões.

O trem de média velocidade vai operar junto com a Linha 7-Rubi da CPTM, que já vai até Jundiaí.



O que é uma PPP?

Nesta modalidade de parceria, os custos de implantação são divididos entre Estado e o concessionário, que também pode ter receita com tarifas e itens acessórios, como publicidade.

O contrato é por prazo determinado: após o encerramento da parceria, toda a infraestrutura implantada volta para o Estado.

O grupo está fazendo visitas de campo, percorrendo os trechos de São Paulo a Campinas e de Campinas a Americana para vistoriar o traçado e avaliar questões ambientais e de desapropriação.

Para implantar o trem intercidades, é preciso ainda que o presidente Michel Temer assine a liberação da faixa de domínio por onde passará o transporte ferroviário.

Em março, Temer anunciou a inclusão do projeto de implantação do Trem Intercidades no Programa de Parcerias de Investimentos, criado para ampliar a relação entre Estado e iniciativa privada e atrair novos investimentos em projetos de infraestrutura.