Prefeitura de Hortolândia lança plano para melhorar segurança do trânsito da cidade

0
34

A Prefeitura de Hortolândia divulgou um estudo sobre a situação do trânsito na cidade.

O levantamento aponta que, de janeiro a dezembro do ano passado, foram 1.265 ocorrências de trânsito; 223 tiveram vítimas feridas, 26 fatais.

Todos os meses aconteceram mortes no trânsito em Hortolândia.

O perfil das vítimas dos acidentes traz um dado alarmante: 55% das pessoas feridas estiveram envolvidas em acidentes com motos; nos 26 acidentes com vítimas fatais, oito eram motociclistas.

Este tipo de acidente normalmente acontece à noite, com envolvimento maior de homens jovens, com idade entre 18 e 24 anos, e 30 e 34 anos, na mesma proporção.








De acordo com o estudo, o Jardim Amanda é o bairro hortolandense onde mais acontecem acidentes de trânsito, sendo que a avenida Santana concentrou 139 ocorrências no período acompanhado.

Nesta via, foram registradas cinco mortes relacionadas à acidentes no trânsito, em 2017.

São mais vítimas fatais do que aquelas ocorridas nos trechos de rodovias que passam pela cidade: na Rodovia Jornalista Francisco Aguirre de Proença (SP-101), foram quatro mortes no ano passado e na Rodovia dos Bandeirantes, três mortes.

“A avenida Santana é uma das que será contemplada com os radares. Já estamos licitando este serviço. Até junho, teremos 20 pontos de fiscalização eletrônica na cidade”, destaca o secretário de Mobilidade Urbana, Atílio André Pereira.




O contrato com a empresa prestadora de serviço contemplará dez equipamentos para fiscalização de excesso de velocidade, dez para fiscalizar avanço de sinal vermelho e duas lombadas eletrônicos, além de radares móveis numa segunda etapa da ação.

Exemplo destas ações pontuais é a recente mudança de trânsito realizada em cinco cruzamentos da avenida Olívio Franceschini.

A esquina desta avenida com a rua Capitão Lourival Mey, por exemplo, foi apontado pelo estudo como o cruzamento mais perigoso da cidade.

Apesar da existência de semáforos, o tráfego apresentava conflitos, que foram solucionados com a criação de um sistema binário: enquanto em uma quadra o fluxo de veículos segue na direção da avenida, na outra o fluxo de carros é sentido bairro.

Além da sinalização das áreas próximas das escolas, o convênio possibilitará a instalação de semáforos em três cruzamentos, ao longo da avenida da Emancipação: em frente à empresa Magneti Marelli; na esquina com a rua Terezinha de Jesus; e no cruzamento com a avenida Olívio Franceschini, todos trechos localizados no Jd. Santa Rita de Cássia.

Entre os critérios para a escolha das cidades beneficiadas pelo convênio estão o número de habitantes e a proporção de óbitos causados por acidentes de trânsito.