Quase 20 mil fraudes foram identificadas pela biometria facial dos ônibus

0
14
A máquina já com o leitor de QRCode acoplado, logo abaixo do leitor de cartões

Com informações do G1 Campinas
O sistema de biometria facial nos ônibus de Campinas identificou 19.223 fraudes no uso do Bilhete Único em seu primeiro ano de funcionamento, totalizando um prejuízo de R$ 100 mil, aproximadamente, segundo a Secretaria de Transportes da cidade.

Implantada em novembro de 2016, a tecnologia permite identificar se a pessoa que apresentou o cartão nas categorias gratuito, idoso, escolar e universitário é realmente a titular do benefício.

Todos receberam advertência por escrito.








De acordo com a Emdec, os dados compreendem notificações realizadas entre 5 de novembro de 2016 e 30 de outubro de 2017.

O maior número de fraudes foi registrado no Bilhete Único Idoso, onde 8.380 usuários não eram os titulares do benefício no momento da passagem na catraca.

Uma média de 23 infrações por dia no período analisado.

O sistema registrou ainda 7.111 usos indevidos do Bilhete Único Escolar no primeiro ano de funcionamento, seguido pelo Bilhete Único Gratuito (1.872) e Bilhete Único Universitário (1.860).

Segundo a Emdec, o primeiro uso indevido do Bilhete Único gera uma advertência por escrito. Do total notificado, a empresa contabilizou 343 casos de reincidência, provocando o cancelamento do benefício por 30 dias.

Apesar do número elevado de fraudes no uso do cartão – uma média de 53 por dia no primeiro ano de funcionamento -, o sistema gerou apenas um cancelamento do benefício por 90 dias, quando o usuário comete a infração pela terceira vez. Segundo a Emdec, o único caso foi de um usuário do Bilhete Único Idoso.