Sacolas ecológicas que tem logotipo ou logomarca não podem ser cobradas na capital

0
3

Com informações do Estadão

As sacolinhas biodegradáveis oferecidas em supermercados e estabelecimentos comerciais, caso venham com a logomarca da loja, não poderão mais ser cobradas.

A decisão veio do Procon de São Paulo e vale apenas para a capital paulista.








A medida entrou em vigor na terça-feira e visa aumentar o uso das sacolinhas ecológicas – que poluem menos o meio ambiente.

No entanto, se a sacolinha não tiver a logomarca do comércio e apenas as instruções da Prefeitura, ela pode ser vendida.

Em casos de descumprimento, o estabelecimento comercial paga multa proporcional ao tamanho da empresa.

As sacolas plásticas biodegradáveis geralmente são de cor cinza ou verde e vêm com indicação escrita de que é menos poluente e que deve comportar materiais recicláveis.

Os novos modelos de sacolinha passaram a ser obrigatórios na cidade de São Paulo em 2015.