Ubatuba, no Litoral Norte, sofre com borrachudos

0
57

Com informações do Estadão Conteúdo
É difícil sair de Ubatuba sem pelo menos uma marca de picada de borrachudo.

Segundo relatos, a quantidade de pernilongos e mosquitos na região aumentou neste ano, afetando também quem visita a praia Maranduba, a menos de 4 quilômetros das cachoeiras do bairro Sertão da Quina.








A explicação, segundo a prefeitura, é a interrupção, em julho, no fornecimento do larvicida BTI pelo Governo do Estado.

A substância costumava ser aplicada para combater a proliferação dos mosquitos, especialmente os da espécie Simuliidae, popularmente chamados de borrachudos.

Entre os moradores, a rotina para diminuir as picadas envolve fechar a casa cedo, aplicar inseticidas e usar repelentes 24 horas por dia.

A prefeitura de Ubatuba afirmou que está em processo de compra do larvicida.

“Estamos aguardando que os fornecedores retornem do recesso de fim de ano”, informou o município, que diz ter alertado o Estado. Outras duas prefeituras, de Caraguatatuba e Ilhabela, também não receberam o produto – a primeira vai comprar e a segunda já adquiriu.

Segundo o governo do Estado, o fornecimento de larvicidas é obrigatório apenas para vetores de doenças e a compra nos últimos anos ocorreu de forma “totalmente voluntária”.

O Estado afirmou, no entanto, que vai adquirir o larvicida em caráter emergencial e distribui-lo às prefeituras em janeiro.