Valinhos tem mais duas mortes suspeitas de febre amarela

0
30



Mais duas pessoas morreram em Valinhos com suspeita de febre amarela.

Uma delas era um homem de 58 anos, que estava internado no Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp e morreu no dia 10.

O outro era um homem de 52 anos, que estava internado na Santa Casa de Valinhos e morreu no dia 3.

Os casos são considerados suspeitos por não haver uma confirmação clínica de que a causa das mortes foi a febre amarela.

O Instituto Adolfo Lutz está analisando exames dos dois pacientes e deve apresentar um resultado em prazo de até 30 dias.

O paciente de 58 anos morava e trabalhava no bairro Chácaras Alpinas, área rural de Valinhos, onde há registro de um caso de morte confirmada pela versão silvestre da doença.

O paciente de 52 anos que morreu na Santa Casa era morador do Jardim Pinheiros, mas tinha o hábito de pescar no bairro Chácaras Alpinas.

No caso dele, há suspeitas também de dengue, febre maculosa e hepatite, já que ele estava manifestando sintomas havia 15 dias e no caso da febre amarela o processo de infecção é mais curto, de até três dias.








O Instituto Adolfo Lutz confirmou mais dois casos de febre amarela na cidade.

Os dois indivíduos, de 38 e 16 anos, são homens de uma mesma família, já tiveram alta e passam bem.

Eles contraíram a doença em fevereiro juntamente com outro membro da família, que tinha 38 anos e morreu no dia 15 de fevereiro.

A família é moradora do Jardim Pinheiros e a forma de transmissão da doença está em investigação.

Uma análise preliminar indica que ela também é silvestre, transmitida pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes, já que não há registro de outros casos suspeitos no entorno da casa das vítimas.

Ao todo, a cidade registra quatro casos positivos de febre amarela, com duas mortes.